MENU

domingo, 30 de julho de 2017

Moisés construiu um altar e chamou-lhe “O Senhor é minha bandeira” (Ex 17.15);



Int. Os amalequitas foram o primeiro povo que atacou os israelitas covardemente. Quando eles saíam do cativeiro no Egito rumo à Terra Prometida. Em Refidim, perto do Monte Sinai, lançaram-se contra o povo de Deus covardemente, pegando os cansados e mais frágeis que iam na retaguarda. Por isso, o termo “amalequita” é usado até hoje como símbolo daqueles que tentam atrapalhar os que estão no caminho mostrado por Deus.
O povo amalequitas teve origem em Amaleque, filho de Elifaz (primogênito de Esaú) com Timna, sua concubina (Gênesis 36.15-16).
O povo de Israel sofreu outros ataques dos amalequitas, mesmo quando a Terra Prometida já havia sido tomada, como punição pela desobediência a Deus (Juízes 3.12-13). Com os midianitas, novamente atacaram Israel, exposta por Deus a eles (Juízes 6.1-3), que saquearam a região por 7 anos antes de Gideão e seus homens derrotá-los (Juízes 7).

Resultado de imagem para moisésC.M. Os amalequitas representam os nossos problemas, precisamos aprender com o exemplo de Moisés como derrotá-los.

1-Escolhe homens, e sai, peleja contra Amaleque: Para vencer é necessário estar disposto a lutar. Em Bartimeu o Cego vemos a sua Aflição de ser uma pessoa doente. Ele era um indigente, uma pessoa rejeitada pela sociedade.
Mas tinha um desejo de ser curado!
Por isto ele enfrenta a multidão, enfrenta Intolerância da multidão porque não admitiam que um cego e mendigo pudesse chegar até Jesus.
Ao lutar contra a esta multidão, Bartimeu pode experimentar sua vitória, pode ouvir Jesus lhe dizer: o que queres que eu te faça?
Só vive esta situação quem se dispõe a lutar e ir até o fim.

2- Amanhã estarei em cima do monte, o bordão de Deus estará em minha mão: Moisés estava declarando que a vitória viria do Senhor.
Ele estaria orando, Josué e os demais soldados lutando, o Senhor Deus estaria confirmando a vitória.
O bordão ou cajado era o símbolo da autoridade espiritual que Deus colocou sobre Moisés.
Por isto quando suas mãos estavam levantadas o exercito prevalecia, quando cansava e baixava os braços os amalequitas prevaleciam.
Ovelha sozinha não se cria, ela precisa estar debaixo da autoridade espiritual do seu pastor.
Porque a autoridade espiritual esta sobre seu pastor para lhe abençoar.
Através da direção do  seu pastor Deus lhe dará pastor verdejantes e águas tranquilas que é refrigério para a sua alma.

3-Arão e Hur sustentavam lhes as mãos: Pastores e lideres por vida de oração e comunhão que tenham com Deus, ainda assim se cansam.
Carregar o peso espiritual de uma Igreja as vezes não é uma tarefa fácil, por isto a igreja precisa ser aliançada com a visão e projeto da Igreja.
A responsabilidade de fazer a Igreja andar é de todos, não apenas responsabilidade de um.
Quando uma Igreja não sustenta os braços do seu pastor, pouquíssimo resultado terá.
Eles sustentaram as mãos de Moisés até a tardinha, com isto Josué pode vencer aquele povo covarde chamado amalequitas.

4- Moises levantou uma Altar e chamou, o Senhor é minha bandeira: Altar é para adoração e sacrifício. Então depois que adorarão e sacrificaram diante daquele altar, Moisés declara no mundo espiritual, “esta vitória pertence ao Senhor”.
Você já observou em filmes de guerra que quando um exército conquista um ponto estratégico uma das primeiras coisas que se faz é arriar a bandeira do inimigo e hastear a bandeira do país vencedor? Você já observou que numa competição envolvendo vários países, como a Olimpíada, por exemplo, a bandeira do país que tirou primeiro lugar é hasteada acima das outras?
Uma bandeira somente é hasteada pelos vencedores.
Quando Moisés fez o altar e chamou O Senhor é Minha Bandeira, ele estava dizendo que o Senhor era o vencedor, aquele que tinha prevalecido contra o inimigo, e conduzia o seu povo em vitória.
Quando temos a atitude do monte (discernimento, oração, intercessão, fé, autoridade) – podemos ter a certeza de que a vitória está sendo construída no vale e o inimigo será desbaratado. Muitas vezes queremos vencer o inimigo com estratégias e armas naturais, porém, nós o vencemos em nome de Jesus Cristo, nome que está acima de todo o nome.

C. Em Cristo eu e você podemos ser mais do que vencedores, para isto temos que entrar na peleja e com disposição lutar até o fim.
Precisamos nesta batalha usar as armas de Deus que estão a nossa disposição.

Deus abençoe sua vida!

Pastor Luciano Silveira


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comente aqui

PALAVRA DE VIDA